o movimento é #sexify

Rio+20
Final de semana de criação
1ª conferência regional - Juvensur
Assembleia de fundação
Desenvolvimento da metodologia
1ª conferência internacional - COP19
1º Encontro nacional dos articuladores
Conferência de Desenvolvimento Sustentável, foi a primeira vez que vimos de perto uma conferência internacional e vimos os jovens dos países do norte muito organizados e colocando as suas demandas em pauta e pensamos, por que não nos mobilizarmos também?
Mobilizamos pessoas engajadas em várias causas e que tinham interesse em debater assuntos relacionados à políticas internacionais, foram 2 dias intensos de muita construção onde nasceu a sementinha do Engajamundo.
Foi a nossa primeira participação como Engajamundo em uma conferência regional. Facilitamos a interação entre os jovens da América Latina
Depois de 1 semestre articulando a ideia com parceiros, conselheiros e voluntários, pensando em um nome que era a nossa cara, chegou a hora de nos institucionalizar! Nos tornamos uma associação sem fins lucrativos, validando a partir dai o trabalho que não parou de crescer.
E para entender todo o processo das negociações internacionais, não foi fácil… Desenvolvemos uma metodologia de formações com o objetivo de tornar esses assuntos mais próximos, fáceis e sexifys. E foi ai que começamos as nossas primeiras foramções por esse Brasi!!
Após realizar a formação em 5 estados diferentes e  realizar uma campanha de financiamento coletivo, chegamos no espaço internacional, levamos uma delegação de 4 jovens para a nossa primeira conferência internacional.
Para construir uma organização mais sólida e inclusiva, reunimos mais de 20 jovens na cidade de São Paulo para realizar o primeiro Encontro Nacional do Engajamundo. Foi um momento maravilhoso de união, construção e celebração!!!
JUNHO 2012
AGOSTO 2012
NOVEMBRO 2012
MARÇO 2013
AGOSTO 2013
DEZEMBRO 2013
AGOSTO 2014

Como começamos

A semente do Engajamundo veio de um grupo de 7 amigos que queria aproximar os universitários da cidade de São Paulo dos grandes debates internacionais de meio ambiente. Antes de sonhar com o Engajamundo, esses jovens criaram o Comitê Universitário Paulista para a Rio+20, carinhosamente apelidado de CUP, aproveitando o momento gerado pela Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável  para engajar outros jovens na pauta ambiental e multiplicar os debates sobre meio ambiente no meio universitário da cidade. Porém quando o grupo, que então já contava com mais de 30 pessoas, chegou na Rio+20 em si… percebeu que faltava muito conhecimento e experiência para realmente influenciar (e até entender!) esses processos.

A experiência gerou uma inquietação na cabeça: como os jovens brasileiros podem participar de forma efetiva nos fóruns internacionais? Ficou claro que são espaços ocupados principalmente por jovens dos países do norte, que demandam dos seus governos políticas internacionais e locais, se organizam para fazer ações e mobilizações por suas demandas. Foi a inspiração para criar o Engaja e mobilizar os jovens aqui no Brasil! Esse grupo de 30 jovens se juntou para dar asas ao Engajamundo e os sete fundadores do CUP toparam o desafio de liderar o projeto.

Muita coisa teve que rolar, desde a decisão (um verdadeiro parto) do nome, incontáveis idas ao cartório e até uma viagem do Estatuto para a Argentina! Logo de cara reformulamos toda a estrutura inicial, em áreas, para abraçar a ideia de uma organização fluída e horizontal, em que os próprios membros propõem os grupos de trabalho e as atividades que são realizadas.

Aos poucos, fomos encontrando jovens por todo esse Brasilzão que tinham a mesma vontade de derrubar as portas fechadas dos processos de decisão internacionais. A organização foi ficando com forma de rede ao mesmo tempo que ganhava Estatuto e CNPJ. As nossas frentes de atuação despontaram e percebemos que queríamos atuar para mudar nossas cidades e comunidades tanto quanto os espaços internacionais.

Em 2014, profissionalizamos a equipe que administra a rede – um passo para assegurar que o Engaja continue mesmo que ninguém do grupo inicial permaneça. Também conseguimos fazer o primeiro Encontro Nacional do Engajamundo, trazendo jovens de vários estados do Brasil, um marco de orgulho na nossa história. Hoje podemos dizer: esse é um sonho em construção, que é compartilhado por jovens de todo o país!

Como funciona?

A nossa rede está cada vez maior e buscamos ampliar cada vez mais as oportunidades para que os jovens se envolvam nas nossas atividades. Hoje, o Engaja está organizado em:  

  • Membros

    Todos os jovens que se inscrevem na nossa rede através do formulário desse site.
  • Articuladores

    Os voluntários que colocam a mão-na-massa e realizam os inúmeros projetos do Engaja. Estão organizados em:

    Grupos de trabalho: os GTs criam campanhas e projetos em torno das causas que nossa organização defende. As reuniões acontecem principalmente online. São também os GTs que organizam as nossas delegações internacionais.

    Núcleos locais: são voluntários que se reúnem em suas cidades e regiões; facilitam formações, fazem ações de ativismo, mobilizam jovens localmente.

  • Comitê Facilitador

    É a equipe responsável pelas atividades administrativas que mantêm a organização funcionando – a coordenação de toda essa rede, a nossa comunicação interna e externa, as atividades financeiras e jurídicas, a captação de recursos, entre outras tarefas. É essa equipe que assegura, também, que o dia-a-dia do Engaja esteja de acordo com os nossos valores.
  • Conselheiros

    São pessoas de confiança, com experiência relevante para o Engajamundo, que orientam a rede sempre que necessário. Auxiliam o Comitê Facilitador nas tretas e decisões-chave da organização.
  • Núcleo Jurídico e Ouvidoria

    São grupos que auxiliam aspectos específicos do nosso dia-a-dia:

    Núcleo Jurídico: responsável pelo aconselhamento jurídico da organização e dos voluntários. Em geral atua de forma consultiva, orientando e auxiliando na solução de problemas.

    Ouvidoria: é um órgão independente, responsável por receber manifestações, como reclamações, denúncias, elogios, críticas e sugestões dos voluntários da organização. Nestes casos, podem escrever para: ouvidoria@engajamundo.org

Estrutura Engaja 2

Comitê Facilitador & Coordenadores de projetos

  • Amanda Segnini
    Amanda Segnini Comitê Facilitador
    Diva do bom senso, empreendedora Social e ativista, veio do interior para fazer faculdade de Relações Internacionais na PUC-SP e não conseguiu mais largar São Paulo!! Está no Engaja desde o início, onde já colaborou com diversos grupos de trabalho, participou de conferências e é coordenadora da rede há 3 anos. No decorrer da sua trajetória no Engaja, se aprofundou em impacto social e dinâmica de rede e fez uma pós graduação em inovação social no Instituto Amani.
  • Flávia Martinelli
    Flávia Martinelli Comitê Facilitador
    Possui bacharelado e licenciatura em Ciências Biológicas e é mestre em Biologia Animal pela Universidade Federal do Espírito Santo. Acredita que a educação e o engajamento são ferramentas fundamentais de transformação social, por isso se dedica ao Engajamundo desde abril de 2015. Foi coordenadora do Grupo de Trabalho sobre mudanças climáticas e articuladora no GT de biodiversidade. Vislumbra uma vida simples, porém com significado e propósito. É apaixonada por Conservação da Biodiversidade, Educação Ambiental e divulgação científica.
  • Iago Hairon
    Iago Hairon Comitê Facilitador
    Cientista social e militante climático, apaixonado por qualquer movimento que nos conecte com a natureza. Foi conselheiro jovem global da Plant-For-The-Planet entre 2013 e 2014, onde se destacou por sua capacidade de liderança e empreendedorismo social. Foi um dos participantes do Climate Leadership Corps, treinamento de líderes climáticos com Al-Gore. Participou de diversas conferências internacionais, entre elas: Rio +20. Fórum Latino Americano de Desenvolvimento Sustentável e da 19ª, 20ª e 21ª 22ª COP sobre Mudanças Climáticas das Nações Unidas.
  • Pedro Lacerda
    Pedro Lacerda Comitê Facilitador
    Apesar de já ter vivido em mil cantos do Brasil, esse ativista LGBT+ correu de Brasília e abraçou São Paulo como sua nova casa. Depois de dois anos coordenando o Grupo de Trabalho de Gênero, com o qual acabou levando a primeira delegação do Engajamundo para a CSW60 e contribuindo para a construção do I Fórum de Juventude da CSW, quer aplicar as táticas comunicativas no novo desafio.
  • Raquel Rosenberg
    Raquel Rosenberg Comitê Facilitador
    Ativista e empreendedora social, tem como missão de vida trabalhar com pessoas e organizações que busquem a convergência de ideias e propósitos para a construção de um mundo melhor e mais sustentável. Co-fundadora e dedicada integralmente ao Engaja, já representou a organização em diversas conferências em defesa de justiça climática. Dançarina nas horas vagas, no palco ou ao som da música da vida. É fellow do Adopt a Negotiator, Red Bull Amaphiko e affiliate da Ashoka Brasil.
  • Brenda Izidio
    Brenda Izidio Coordenadora de Biodiversidade
    Bióloga pela Universidade Federal do Maranhão, apaixonada por ecologia, biodiversidade e conservação. Realiza pesquisas sobre ecologia e serviços ecossistêmicos das restingas maranhenses. É educadora socioambiental, professora por vocação e aprendiz do Universo. Começou trabalhos voluntários e ações de ativismo ambiental aos 17 anos. Desde que se entende por gente tem o sonho de transformar o mundo em um lugar mais justo, com mais oportunidades e direitos para todas as pessoas. 
  • Lucas Maximo
    Lucas Maximo Coordenador de Cidades Sustentáveis
    Recifense, estudante de Relações Internacionais na UFPB e seguro do poder transformador da juventude na Política. Acredita no “pensar globalmente e agir localmente” e carrega esse lema em suas atividades. Participou da Habitat III e foi premiado pelo Ministério das Relações Exteriores da Suécia em 2016 com o First Generation Award.
  • Mariana Monteiro
    Mariana Monteiro Coordenadora de Gênero
    Mariana Monteiro é uma jovem feminista de Pernambuco, graduada em Relações Internacionais e que atua em organizações de jovens, como o Coletivo Mangueiras, se voltando para pautas de gênero e Direitos Sexuais e Reprodutivos. Esteve presente em conferências nacionais e internacionais, como a 60ª Comissão sobre o Status da Mulher (CSW), discutindo as pautas de juventude através de uma perspectiva interseccional, que trabalhe as políticas de maneira a focar em aspectos ambientais, sociais e econômicos. Tem um dedinho nas discussões acerca de Desenvolvimento Sustentável, e realiza pesquisas sobre Saúde Global e as políticas para o HIV/AIDS.
  • Mathaus Ranie
    Mathaus Ranie Coordenador de Gênero
    Jovem feminista e ativista de Pernambuco, formado em Relações Internacionais. Acredita que o mundo tem jeito, desde que a gente se esforce pra causar as mudanças que acreditamos serem necessárias. Seus principais interesses são questões relacionadas aos ODS, debates sobre gênero, direitos sexuais e direitos reprodutivos, bem como pautas LGBT+, além de buscar compreender melhor as lógicas da democracia. Busca o tempo todo ampliar sua visão de mundo e se utilizar da empatia como combustível.
  • Melinda Carvalho
    Melinda Carvalho Coordenadora de Desenvolvimento Sustentável
    Conhecida como  Mel, baiana, 21 anos, Graduanda em Ciências Sociais pela UFRB (Universidade Federal do Recôncavo  da Bahia), ativista do  Greenpeace, voluntária no Núcleo Nacional pela Cidadania e Solidariedade- Nós Podemos Bahia e pesquisadora na área de política e juventude. Participou da delegação que foi para a CSW60 em Nova Iorque, como membro do GT de Gênero. Atualmente é coordenadora do GT dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável.
  • Vanessa Matos
    Vanessa Matos Coordenadora de Clima
    Baiana, graduanda em Engenharia Sanitária e Ambiental pela Universidade Federal do Recôncavo da Bahia – UFRB. Foi representante do Parlamento Nacional da Juventude pela Água – PNJA/Brasil e acredita no poder de mudança das juventudes. Felizmente conheceu o engajamundo a pouco mais de 1 ano e se apaixonou pela ideia de mobilizar jovens com temas que já fazia parte da sua vida. Participou da 22ª COP sobre Mudanças Climáticas das Nações Unidas (UNFCCC), pirou nas ações dentro da conferência e voltou para o Brasil com a blusa do engaja devidamente manchada de tinta ativista e assumindo a coordenação de clima com uma vontade enorme de engajar mais e mais jovens.
  • João Henrique
    João Henrique Coordenador de Clima
    Curitibano, graduando em Engenharia Ambiental pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná e Permacultor pela faculdade da vida. Trabalha com educação ambiental e em ações de ativismo desde 2012, foi co-fundador do espaço de co-working e laboratório de permacultura urbana Pátio do Sol entre 2013-2015 e em 2016 compôs a delegação do Engaja na 22ª COP sobre Mudanças Climáticas da UNFCCC em Marrakesh. Na cidade cola com o movimento da ciclo-mobilidade, na faculdade com o movimento estudantil, no campo com o movimento agroecológico e na vida com o veganismo. Acredita que a relação entre consumo e alimentação vai ser a chave pra lidar com grande parte da crise contemporânea e que poucas coisas nesse mundo são tão revolucionárias quanto uma beterraba produzida em cultivo agroflorestal.
  • Ana Abreu
    Ana Abreu Coordenadora de Cidades Sustentáveis
    Mestranda em Análise e Gestão de Políticas Internacionais na PUC-Rio, acredita que cada vez mais as decisões tomadas a nível internacional estão afetando a vida cotidiana de muitos jovens que nem fazem ideia desse processo. Carioca da gema, presenciou enorme transformações em sua cidade para megaeventos internacionais, como a Copa de 2014 e as Olimpíadas de 2016. Sentia-se incomodada em não estar participando do processo decisório de tantas intervenções que estavam mudando a dinâmica de sua cidade. Tentando, então, tomar a frente das mudanças que queria ver, participou do movimento Viva a Vila, da AIESEC para o desenvolvimento de liderança em jovens e no Engaja trabalha com o ímpeto de se articular e mobilizar jovens a favor do direito à cidade e cidades mais sustentáveis.
  • Julia Norat
    Julia Norat Coordenadora de Biodiversidade
    Advogada e graduanda em Ciências Ambientais pela Universidade de Brasília (UnB), já estagiou em escritório de advocacia, na Defensoria Pública e no Departamento de Apoio ao Conselho Nacional de Meio Ambiente (DCONAMA), onde teve contato prático, pela primeira vez, com o Direito Ambiental. Apaixonada pelo Bioma Cerrado, pesquisa sobre o tema e acredita que a utilização sustentável dos seus recursos naturais pode ser um fator importante para a conservação da sua biodiversidade. Trabalhou como voluntária na Secretaria de Meio Ambiente do Distrito Federal (SEMA/DF), onde atuou no processo de consulta pública do Programa de Regularização Ambiental do Distrito Federal (PRA/DF) e desenvolveu atividades na Assessoria Jurídico-Legislativa do órgão. Participou, como representante do Engaja, da 13ª COP sobre Diversidade Biológica por meio do Global Youth Biodiversity Network (GYBN).
  • Marne Lima
    Marne Lima Coordenadora de Desenvolvimento Sustentável
    Paraibana. Advogada, Analista internacional e pós-graduanda em Gestão Estratégica de Políticas Públicas. É articuladora do Engaja desde 2014 e realizou diversas formações sobre a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável no nordeste. Pesquisa e atua na área dos Direitos Humanos e do Desenvolvimento Sustentável e acredita no poder transformador da juventude como instrumento fundamental para o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e construção de uma sociedade mais justa, sustentável e inclusiva para todas e todos.

Conselheiros

  • Dari Santos
    Dari Santos
Começou a trajetória em organizações de juventude na AIESEC. Co-fundou o Comitê Universitário Paulista para Rio+20, para aproximar jovens do debate sobre as mudanças climáticas e as conferências internacionais. Atualmente, além de ser da Comissão Diretiva do Engajamundo, é co-fundadora da Alinha, plataforma que melhora as condições de trabalho na cadeia da moda, em que a maior parte dos trabalhadores são jovens imigrantes.
  • Debora Souza
    Debora Souza
Co-fundadora do Engajamundo, representante da Coalizão de Jovens Brasileiros para o Pós 2015, ponto focal da campanha global Action/2015 no Brasil e articuladora do Comitê Universitário Paulista para a Rio+20 em 2012. Como ativista pelos direitos da juventude participou de diversas ações, eventos e conferências levando sempre uma perspectiva jovem. Desde a fundação do Engajamundo coordena o grupo de trabalho sobre a Agenda de Desenvolvimento Pós 2015.
  • Débora Leão
    Débora Leão
Co-fundadora do Engajamundo e parte do grupo idealizador que criou o CUP para a Rio+20. Já fez parte de diversos projetos, movimentos e organizações que acreditam no empoderamento dos jovens e na construção de um futuro sustentável para o nosso planeta. Faz parte dos GTs da Habitat III e de Gênero do Engaja e é facilitadora do grupo de trabalho da Habitat III do Grupo de Interesse para Crianças e Jovens, plataforma da ONU para participação da sociedade civil.
  • Evelyn Araripe
    Evelyn Araripe
Jornalista de formação, educadora ambiental de especialização, empreendedora social e educomunicadora por paixão, ciclista urbana para locomoção e multiplicadora de tudo o que pode fazer as cidades serem lugares mais legais e divertidos de se viver. Foi assessora de comunicação da Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo e educomunicadora da ONG Viração Educomunicação, onde co-coordenou as coberturas jovem da Rio+20 e das Conferências da ONU sobre Mudanças Climáticas em Doha (COP18) e Varsóvia (COP19).Recentemente se especializou em empreendedorismo juvenil pelo The Commonwealth Youth Program, onde aprendeu as metodologias mais divertidas para inspirar jovens a serem empreendedores. Atualmente é mediadora d’oGangorra, um espaço de co-working colaborativo onde pessoas, empresas, organizações e movimentos sociais tentam criar juntos soluções para que as cidade sejam lugares mais agradáveis de se viver.
  • João Scarpelini
    João Scarpelini
Ativista e empreendedor social que há 15 anos trabalha para empoderar jovens ao redor do mundo. Ao longo de sua trajetória, João trabalhou em uma série de projetos ao redor do mundo, apoiando jovens e suas comunidades a desenvolverem projetos e ações que buscavam resolver problemas locais, e melhorar a qualidade de vida nos mais de 50 países em que trabalhou. Fundou em 2009 um coletivo de jovens empreendedores sociais e ativistas chamado #ChangeMob ( www.change-mob.org ), o grupo busca inspirar, capacitar e fortalecer os processos de transformação em todo o mundo. Desde 2004, João esta na vanguarda do processo de reconhecimento da participação de jovens como parceiros importantes no âmbito do Sistema das Nações Unidas, e já trabalhou para diversas agências do sistema ONU (incluindo: UNDESA, UNICEF, ONU-HABITAT, UNFPA, entre outros) tentando avançar as questões da juventude em todo o sistema. Serve como diretor no conselho de algumas organizações, incluindo: CIVICUS: Aliança Mundial para a Participação Cidadã ( www.civicus.org ), GCCA – a Chamada Global para a Ação Climática ( www.tcktcktck.org ), Engajamundo ( www.engajamundo.org.br ), Rede Nexus Brasil (www.nexusyouthsummit.org) entre outras. É formado em Regeneração Comunitária pela Universidade Middlesex, em Londres.
site: www.joaofelipescarpelini.com
  • Juliana Russar
    Juliana Russar
Formada em Relações Internacionais. Atualmente, é coordenadora da 350.org no Brasil, participante-fundadora do coletivo Clímax Brasil e co-fundadora e conselheira do Engajamundo. Adora escutar a conversa dos outros, viajar, andar de bike e tentar abstrair as mudanças climáticas nas horas vagas. Acredita que a busca por justiça social e ambiental envolve pitadas de diversão, ativismo, amor, palavras e arte. 
  • Marcelo Estraviz
    Marcelo Estraviz
Escritor, empreendedor, palestrante, ativista. Fundador e ex-presidente da Associação Brasileira de Captadores de Recursos (ABCR) e da associação de ex-alunos do Colégio Miguel de Cervantes; conselheiro do Greenpeace, do Instituto Filantropia, do Cidade Democrática e do Engajamundo. Autor dos livros “Captação de diferentes recursos para organizações da sociedade civil” e “Um dia de captador“. Acaba de lançar o livro “Pause“, sobre suas experiências com períodos sabáticos. É Empreendedor Cívico da RAPS, Rede de Ação Política pela Sustentabilidade. É Presidente do Instituto Doar, que atua em prol da cultura de doação no Brasil, através do Dia de Doar e da iniciativa certificadora de ONGS.
  • Pedro Telles
    Pedro Telles
Mestre em Development Studies e pós-graduado em Economia e Ciência Política. Atualmente coordenador dos projetos de Clima e Megacidades no Greenpeace Brasil, já trabalhou com várias organizações da sociedade civil no Brasil e em outros países, incluindo Oxfam, Instituto Vitae Civilis, Fundo Brasil de Direitos Humanos e Self-Employed Women’s Association of India, e participa de diversos coletivos e movimentos. Trabalha com foco em advocacy, campanhas e pesquisa principalmente nas áreas de mudanças climáticas, desigualdade, governança para o desenvolvimento sustentável, e participação da sociedade civil em processos políticos.

Quer saber mais da atuação dessa equipe linda?

Conta aí

Tá com dúvida? Pode mandar um email pra gente!

Not readable? Change text. captcha txt

Start typing and press Enter to search