In Blog, Gênero, GTs

Antes de começar a ler esse texto se faça a seguinte pergunta: você de fato sabe qual é o significado da palavra feminismo? Se a primeira resposta que veio a sua mente foi “ah, é o contrário de machismo”, sentimos lhe informar, mas você está completamente equivocada(o). Agora, se você respondeu que feminismo/feminista não passa de um bando de mulheres mal amadas, ‘mimizentas’, de esquerda e que não gostam de se depilar você precisa muito, mas MUITO ler esse texto!

A palavra feminista surgiu em meados do século XIX, como termo científico usado em um artigo para descrever sintomas da tuberculose em homens que passavam a ter traços infantis e femininos como cílios longos, pele macia, cabelos finos, mamas volumosas, etc., mas, não demorou muito para passar a ser utilizada de forma pejorativa para desqualificar homens. No entanto, graças ao discurso das sufragistas, no final do século, o termo feminismo ganhou um sentido positivo e passou a ser usado como símbolo do poder feminino, relacionado à luta feministas social, união das mulheres e defesa dos seus direitos políticos e sociais.

Ocorre que, infelizmente, com o passar dos anos, o feminismo voltou a ser visto de forma negativa por algumas pessoas que, devido à noções erradas e pré-concebidas ou ainda por puro desconhecimento, desqualificam o movimento, fazendo com que ele perca sua reputação empoderadora de suma importância para todas as mulheres. Muitas dessas pessoas acreditam que nós, feministas, encaramos o homem como inimigo mortal e somos contra a feminilidade, mas isso não é verdade! Nós não temos nada contra os homens, até amamos alguns deles rs, mas somos completamente intoleráveis ao comportamento machista não apenas de homens, mas também, e infelizmente, de muitas mulheres da nossa sociedade. Além disso, muitas mulheres que simpatizam com o movimento se recusam a serem chamadas de feministas devido a essa visão negativa da palavra e por considerarem esse um termo “muito pesado”, mas ele é mesmo! Afinal, carrega o peso de uma história de luta, de mulheres guerreiras, incansáveis, com sede de justiça, na busca por oportunidades, direitos, responsabilidades e privilégios iguais aos dos homens.

Quer algo mais lindo que isso? Então, só vem!!! Feminismo NÃO é uma palavra feia! E é isso que queremos demonstrar com esses 5 pontinhos Mara listados abaixo:

1) Feminismo não é o oposto de machismo. E esse é um erro muito comum levado pela terminologia das duas palavras em “ismo”, e também por aquele tal de achismo que complica tudo as coisa. Mas bora lá ver no que consiste essa diferença afinal, basta um simples “Google it” ou abrir aquele velho Aurélio empoeirado que tanto te acompanhou na época de escola para encontrar as seguintes definições:

Machismo: 1- modo ou atitudes de macho. 2- ideologia segundo a qual o homem domina socialmente a mulher.

Feminismo: 1- sistema dos que preconizam a ampliação dos direitos civis e políticos da mulher ou a igualdade delas aos dos homem.

Ou seja, o feminismo é um movimento social e político que luta pelos direitos das mulheres e igualdade de gênero e o machismo é uma atitude comportamental que coloca o homem acima da mulher. Enquanto um liberta o outro oprime! #ficaadica

2) Nós feministas não odiamos os homens e muito menos nos achamos superiores a eles. E como bem disse Cher:

O que isso significa? Simples! Nós amamos os homens, mas estamos cansadas de todos acharem que precisamos deles para (sobre)viver e muito menos que somos inferiores a eles, o tal do sexo frágil. Reconhecemos as diferenças biológicas  entre homens e mulheres e entendemos que nem sempre é possível que ambos os gêneros recebam o mesmo tratamento. Mas é preciso acabar com a desigualdade de gênero! É preciso garantir o cumprimento da isonomia (justiça dentro das relações de gênero) e a proteção dos direitos das mulheres, pois ainda hoje há mulheres que ocupam o mesmo cargo que homens e ganham menos que eles. Ainda hoje, há mulheres que, assim como os homens, trabalham o dia inteiro fora e ainda fazem a maior parte, senão todas, as tarefas domésticas e, pasmem, ainda cuidam dos filhos enquanto os maridos se dizem muito cansados para ajudar devido o dia difícil de trabalho. Veja bem, não estamos dizendo que somos contra a figura “bela, recatada e do lar”, mas somos contra a ideia de que todas as mulheres devam se enquadrar nesse padrão e ainda serem obrigadas a ouvir que entendem de  economia pois reconhecem como ninguém a flutuação de preço dos produtos no supermercado. (se você não sabe do que estamos falando clique aqui).

3) Nós feministas não somos contra o casamento e muito menos contra a maternidade, como dizem por aí. Gata, se tu encontrou o amor da tua vida e quer viver tipo uma música do Luan Santana “eu, você, dois filhos e um cachorro”, se joga! Mas precisamos te contar um babado forte, nem toda mulher tem o sonho de encontrar um príncipe encantado e se casar de branco na igreja (como assimmmm???), pois é, e tantas outras até pensam em casamento, mas não querem ter filhos. Isso pode doer no fundo do seu coraçãozinho que vê na maternidade o melhor dos presentes da vida, mas nem para toda mulher é assim, e por isso estamos aqui, na luta, para garantir que TODAS as mulheres tenham os seus direito respeitados.

4) Nós feministas não somos contra a feminilidade, ao contrário do que muitos pensam, inclusive alguma mulheres que se identificam como feminista, como a atriz Juliana Paes que disse recentemente: “Não quero queimar sutiãs. Gosto de sutiãs! Não quero quebrar saltos de sapato em busca de liberdade. Gosto de me enfeitar, e nós, mulheres, não fazemos isso para o macho. Fazemos porque dá prazer cuidar de si e cuidar do outro. Sou uma feminista de saia, sutiã, salto alto e batom vermelho.”

É preciso tomar cuidado e ir além do argumento raso até porquê o feminismo não quer abolir o sutiã, salto alto muito menos o batom vermelho. A destruição de alguns desses itens do guarda roupa feminino foi um símbolo de resistência na luta das mulheres, quase um “EU NÃO SOU OBRIGADA!” da época. Assim, quando algumas feministas decidem não se depilar ou não usar sutiã e maquiagem elas não estão tentando deixar de serem femininas. Tudo que elas querem é exercer seu direito de escolha sobre a própria aparência e não se conformar com os padrões de beleza definidos pela sociedade. Mas não se engane, existe muita feminista militando de salto alto e batom vermelho, por aí.

5) Nosso último mas não menos importante ponto que precisa ser destacado aqui é: O feminismo NÃO é prejudicial para os homens, sendo, inclusive, apoiado por uns meninos, por aí, isso porquê seu foco está na luta por direitos iguais para nós mulheres sejam cis, trans, brancas, negras, hétero ou homossexuais, e não para nos colocar em posição de superioridade. Nós feministas queremos quebrar os papéis e estereótipos de gênero que concernem tanto a mulheres quanto a homens. Acreditamos que mulheres podem (e devem) ser fortes, independentes e poderosas tanto quanto os homens podem ser sensíveis e emocionais, isso não é lindo?! Então, você está esperando o que para fazer parte dessa luta com a gente?

Obs. Mesmo depois de tudo o que leu você ainda acha que essa não é uma luta que queira para si, fique em paz irmã, o feminismo existe para garantir TODOS os direitos das mulheres, inclusive o de não fazer nada a respeito. Mas, não se esqueça que existem várias mulheres lutando por você agora. Por isso, respeita as minas!

E lembre-se: “O maior inimigo do conhecimento não é a ignorância, mas sim a ilusão de conhecimento” Stephen Hawking

 

Texto escrito pelas voluntárias: Eduarda Binder e Anny Romão

Leave a Comment

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

Conta aí

Tá com dúvida? Pode mandar um email pra gente!

Not readable? Change text. captcha txt

Start typing and press Enter to search