In Blog, Clima, Conheça, GTs

Por Marcelo de Medeiros, Ativista Climático Brasileiro.

O que difere os humanos dos outros animais, na minha humilde opinião, é que o instinto de sobrevivência não é suficiente para nós. Somos movidos por sonhos, utopias. Somente estar vivo não basta, estamos sempre inclinados a desejar e lutar por uma vida melhor. Alguns desejam uma vida melhor só pra si mesmo, já outros sonham e lutam pelos outros. O que nos faz continuar seguindo em frente dia após dia varia de acordo com nossas perspectivas, realidades e condições de vida, mas uma coisa temos em comum: por mais difícil que seja/esteja a vida nos agarramos no que realmente acreditamos, respiramos e seguimos em frente. Sempre em frente.

Em tempos como esses, nós somos forçados à reflexão sobre tudo o que nos cerca e principalmente somos forçados a reaprender a viver e deixar para trás o que nos causa dor para que a viagem que está por vir seja a mais leve possível, pois em uma longa e difícil viagem só devemos levar nos ombros o peso que podemos suportar. Creio que minha geração está enfrentando sua primeira grande crise em todos os sentidos. Vários jovens com casos de depressão, sem perspectiva de um futuro melhor por problemas que vão desde a grave situação de desemprego até a falta de representatividade por parte dos nossos governantes. Vivemos em tempos realmente difíceis.

Essa semana o mundo acordou em choque. Mais uma vez, diga-se de passagem. Cada dia é uma notícia, uma tragédia, um golpe que nos abala ainda mais em uma mundo já por demais sofrido. A vitória de Trump para a presidência dos EUA é um desses duros golpes que não esperamos, mas temos que resistir. Resistir porque é o que sempre foi feito por aqueles que mudaram para melhor o mundo. Resistir lutando. Resistir porque sempre vamos encontrar pelo caminho várias pedras e infelizmente Trump é apenas mais uma delas. Nesse exato momento, algum barco cheio de refugiados deve estar à deriva tentando alcançar terra firme na Europa. Algum menino está passando fome em alguma rua sem nome na África. Alguma criança está virando órfã na guerra da Síria. São vários problemas no mundo, se formos nos abater por cada notícia ruim que aconteça estamos perdidos. Não podemos que eles nos deixem abater, agora mais do que nunca temos que decidir se tais problemas vão continuar existindo ou se faremos algo concreto para eliminá-los.

Ano passado, faltando poucos dias para a COP 21 em Paris, escrevi um texto sobre o quanto eu acredito que os jovens do mundo inteiro estão fazendo um trabalho mais importante e eficaz em relação às mudanças climáticas do que os governos e sobre a juventude ser uma espécie de “estrela-guia” para todas as mudanças necessárias para vivermos em um planeta mais harmônico e igualitário. Alguns governantes podem dificultar nossas vidas, fazê-las mais duras, mas nosso espírito ninguém vai conseguir quebrar. Eles podem erguer muros, nos violentar fisicamente, tentar que percamos a esperança. Mas eles vão só tentar, nunca vão conseguir. Nunca conseguiram e hoje não será diferente, pois hoje, apesar de todas as nossas falhas, somos uma geração consciente do nosso papel de transformação global. O que temos que fazer é apenas recolher esses empecilhos que aparecem no caminho e transformá-los em uma força motriz que nos levará ao futuro que desejamos criar.

É tempo de despertar, não dos nossos sonhos, porque sonhamos despertos, com a mão na massa. Mas é tempo de despertar do nosso status quo, é tempo de refletir sobre se o que realmente estamos fazendo está mudando essa realidade, é tempo de refletir se somos quem realmente podemos ser. Depois de refletir, parta para a ação. Faça o que você puder, com o que puder, mas faça. As crises humanitárias que vivemos não nos dá tanto tempo e nem margem para erros, mas quando um erro como a vitória de Trump acontece o que devemos fazer?  Hoje podemos até chorar, mas amanhã temos que enxugar as lágrimas e seguir em frente.

A luta pela justiça climática e outras tantas lutas contra as mazelas do mundo nunca devem parar.

Antes eu sonhava com um mundo em que todas as pessoas vivam em paz e em comunhão com uma natureza protegida e bem cuidada. Creio que seja o sonho de milhares de jovens também. Hoje o sonho permanece o mesmo, pois os sonhos não envelhecem. Nem Trump nem nenhum outro governante tem o poder de pôr um fim nele antes do tempo, pois não há nada mais forte neste mundo do que um sonho que é sonhado em conjunto pela juventude mundial.

Devemos sonhar despertos, com brilhos nos olhos e acima de tudo, mais fortes e unidos. O que me fará acordar amanhã pela manhã é a certeza de que os jovens do mundo todo seguirão em frente, até que os sonhos se convertam em realidade, até que a luta se converta em conquista, até que os laços que nos unem sejam mais fortes do que os muros que nos separam.

“Love trumps hate”.

Leave a Comment

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

Conta aí

Tá com dúvida? Pode mandar um email pra gente!

Not readable? Change text. captcha txt

Start typing and press Enter to search